Ceratocone: sintomas e tratamento

O ceratocone é uma doença que atinge a córnea, sendo mais comum entre a população mais jovem (pessoas entre 10 e 25 anos). Especialistas ainda tentam desvendar a causa do ceratocone mas já se sabe que a genética contribui para seu desenvolvimento.


O ceratocone leva ao embaçamento da visão de forma progressiva, então é muito importante que o paciente tenha o diagnóstico e invista no seu tratamento o quanto antes.

Quer entender mais sobre o ceratocone, a fim de se prevenir da melhor maneira? Continue a leitura que explicaremos mais sobre o assunto!


Como o ceratocone atinge a córnea?


A córnea é uma estrutura ocular fina e transparente e é responsável por promover a entrada e refração da luz em nosso olho. Alterações na sua curvatura podem comprometer a visão e, como o próprio nome da doença sugere, quando a pessoa possui ceratocone, a córnea adquire formato de um cone. Como a córnea fica pontuda, a entrada da luz no olho é distorcida (como no astigmatismo, por exemplo), o que impede a formação de imagens nítidas.


Para verificar a ocorrência do ceratocone, é feito um diagnóstico com algumas etapas. A primeira delas é a avaliação do histórico do paciente e das queixas de perda de visão, uma vez que estamos falando de uma doença progressiva e lenta.


Depois, o oftalmologista pode utilizar aparelhos e exames como lâmpada de fenda, topografia, tomografia e paquimetria. Esses aparelhos são capazes de avaliar com mais precisão a córnea, fornecendo informações valiosas como a área afetada e a progressão da doença.


Quais são os fatores de risco para o ceratocone?


Acredita-se que o ceratocone esteja ligado a características genéticas. Então, é importante avaliar o histórico da sua família, porque esse é um indício de propensão à doença.


Mas há certos hábitos que podem aumentar as chances de desenvolver a doença, como o hábito de coçar os olhos. Por isso, outro fator de risco seriam as doenças respiratórias, como a asma e a rinite. Afinal, esses são problemas muito comuns em pessoas alérgicas e, portanto, quem as desenvolve também teria mais coceira nos olhos.


Para isso, é importante evitar ambientes e objetos empoeirados, como tapetes e bichos de pelúcia, porque eles estimulam a alergia. Procure um oftalmologista se a coceira estiver demasiada. Ele pode te ajudar com soluções que não causarão danos à sua saúde, recomendando colírios que diminuem a irritação ocular.


Qual é o tratamento para o Ceratocone?


O Ceratocone não tem cura. No entanto, ele possui várias frentes de tratamento e controle da doença que são muito eficazes:


· As lentes de contato (gelatinosas ou rígidas) e óculos específicos têm uma resposta muito positiva nos pacientes. Ambos possuem a capacidade de minimizar as irregularidades dos olhos e funcionam melhor para os estágios mais iniciais do ceratocone.


· Outro tratamento é o Implante do Anel Intracorneano, ou Anel de Ferrara, que é um anel implantado no interior da córnea. Essa é uma cirurgia geralmente sugerida para aqueles pacientes que não se adaptaram ao uso das lentes ou óculos para corrigir a ceratocone.


Embora útil para alguns pacientes, essa cirurgia tem uma grande imprevisibilidade dos seus resultados.


· Mais recentemente, o implante do filtro estenopeico, dispositivo desenvolvido na Alemanha sob coordenação do Dr. Claudio Trindade, tem se mostrado como forma muito segura, previsível e eficiente de se melhorar a visão em pacientes que não se adaptam às lentes de contato.


· Por último, o transplante de córnea só é realizado quando não é viável recorrer aos procedimentos anteriores. Nessa cirurgia, a córnea lesionada pela ceratocone é trocada pela córnea de um doador.


· Já o Crosslinking é um procedimento à base de Riboflavina (vitamina B2) e do estímulo por raios ultravioletas. Juntos, eles aumentam as ligações entre as fibras corneanas aumentando a rigidez da córnea e prevenindo a progressão da doença. É um tratamento muito útil nos casos onde se percebe que a doença está se agravando.


Esperamos ter tirado as suas principais dúvidas sobre o ceratocone com este artigo. Para se manter informado sobre demais problemas oculares, siga o IOCT no Instagram.

  • IOCT no Facebook
  • IOCT no Instagram
  • IOCT no Youtube

contato@ioct.org

31-2534-5454

Rua Manaus 595
Belo Horizonte - MG
30150-350

©2019 by IOCT